Indignação com a foto de uma vítima policial como ilustração de ressaca na fanpage da vodka Å»ytnia. “Nunca houve um amador tão amador”

Indignação com a foto de uma vítima policial como ilustração de ressaca na fanpage da vodka Żytnia. "Nunca houve um amador tão amador" 1

A infeliz entrada na fanpage do Żytnia Extra foi publicada na tarde de terça-feira. Uma legenda e um comentário foram adicionados à foto de 31 de agosto de 1982, mostrando um eletricista fortemente baleado da planta de mineração em Lubin (ele morreu alguns dias depois) carregado por seus amigos, sugerindo que era uma cena de uma despedida de solteiro , em que um dos participantes exagerou com o álcool.

A entrada indignou muitos usuários da fanpage (é assistida por 26 mil internautas), também foi notada por MikoÅ‚aj Nowak, gerente de novas mídias da “Fakt” TVN, que conseguiu tirar uma foto da tela com o post e postou isso no Twitter.

A mega gafe da marca nas redes sociais. O post sumiu, mas a ressaca vai continuar sendo a marca por muito tempo… pic.twitter.com/xZ7lZjeg3N

– MikoÅ‚aj Nowak (@MikolajNowak) 18 de agosto de 2015

Os administradores da fanpage Å»ytnia (referida como “Å»ytnia Team”) rapidamente apagaram a ressaca e publicaram um pedido de desculpas. – Gostaríamos de ressaltar que a publicação de tal fotografia não foi fruto de desrespeito, mas de nossa ignorância. Cometemos um erro e agora pedimos desculpas por isso. Faremos todos os esforços para evitar que esta situação volte a acontecer – afirmaram. – Não foi absolutamente um ato deliberado, mas o resultado da ignorância. Vamos verificar melhor as fontes a partir de agora – eles adicionaram em respostas aos comentários dos internautas.

Vários portais informaram sobre a postagem em tom de indignação na noite desta terça-feira, e muitas pessoas nas redes sociais também o criticaram, inclusive jornalistas e gestores da indústria de marketing. – Isto está além da compreensão. Os jovens de hoje não são bem lidos, mas o que vi hoje está além da compreensão humana. Alguém que fez esse anúncio deveria ser estigmatizado. Por exemplo. Está fora da minha mente. Vem à mente para mudar a indústria. Ou nas montanhas Bieszczady – comentou no Facebook Szymon Sikorski, chefe da agência Publicon. – Eu não sei quantos de vocês trabalham na “Equipe Å»ytnia”, em quais escolas vocês foram, quem são seu gerente e chefe. Mas vocês são todos provocadores ou ídolos absolutos – avaliou MichaÅ‚ Majewski em Kulisy24.com. Por outro lado, Wojciech Wybranowski no site da revista semanal Do Rzeczy afirmou que não estava convencido pelas traduções dos administradores do perfil. – Em primeiro lugar, a imagem que eles baixaram da internet está perfeitamente descrita lá. Em segundo lugar, há um autor conhecido que não teria consentido com tal uso – ele escreveu.

Perdi a fala e o sentimento nos membros… não acredito – para reagir, preciso me acalmar, mas certamente não vou deixar assim – Krzysztof Raczkowiak, o autor da foto usada, comentou esta situação para a Rádio WrocÅ‚aw.

Avaliando essa situação, Anna Robotycka, sócia-diretora da agência FaceAddictd, aponta que a explicação dos administradores da fanpage sobre o desconhecimento histórico não é muito convincente. – Pessoalmente, não compro esta tese, pois todo o perfil e todos os posts publicados anteriormente nesta fanpage se referem aos anos 70 e 80. Eles são baseados em um sentimento específico, memórias daquele período. Essa estratégia foi adotada pela agência/responsável pelas mídias sociais. Tinha que ser uma decisão deliberada, que deveria trazer efeitos específicos para a marca, acredita Robotycka. – Então eu não acredito que quem trabalha nesse perfil dia após dia não fez pesquisas, não leu informações sobre a época, não fez um mapa de conceitos ou eventos chave. Nenhuma pessoa que lida profissionalmente com mídias sociais pode acreditar que você pode pesquisar fotos para entradas no Google com base apenas em um monte de palavras-chave relacionadas à era da República Popular da Polônia. Não vimos tal nível de indolência, desconhecimento e total amadorismo em relação à história polonesa nas redes sociais – enfatiza.

– Infelizmente, eu não ficaria surpreso se alguém deliberadamente presumisse que ter uma “foto legal e gratuita do Google” despertaria o interesse de fãs que não perceberiam do que se tratava realmente, mas seria barato e rápido. Tratar os fãs como idiotas pode ser ainda pior do que apenas ser um idiota, resume Anna Robotycka.