Online, compramos produtos por impulso com menos frequência, com mais frequência planejados com calma

Online, compramos produtos por impulso com menos frequência, com mais frequência planejados com calma 1

Os consumidores procuram cada vez mais produtos de boa qualidade a um preço razoável e competitivo. Na Polónia, tal abordagem é declarada por 69% dos inquiridos. As compras online também estão satisfeitas com essas necessidades do consumidor.

Um fator adicional que tem um impacto direto sobre onde e como compramos √© a pr√≥xima mudan√ßa geracional: as gera√ß√Ķes Z (15-20 anos) e Millennium (21-34 anos) est√£o se tornando um grupo cada vez mais numeroso entre todos os consumidores. Para eles, o ambiente online √© um lugar natural onde podem navegar de forma eficiente e atender a maioria de suas atividades e necessidades, incluindo compras. Eles s√£o respons√°veis ‚Äč‚Äčpelo desenvolvimento do canal de e-commerce. No mundo, cada terceiro consumidor de ambos os grupos compra produtos FMCG online. Al√©m disso, mais de 50% deles declaram que est√£o dispostos a comprar esses produtos online no futuro.

Existem categorias de produtos que s√£o compradas com muito mais frequ√™ncia online e aquelas que preferimos comprar em lojas f√≠sicas. Usando a Internet, teremos menos probabilidade de comprar produtos por impulso, que muitas vezes compramos sob a influ√™ncia de uma necessidade repentina e imprudente e comemos imediatamente ap√≥s a compra, por exemplo, sorvetes, bebidas geladas, barras ou frutas frescas. A barreira neste caso √© o tempo de entrega: em um dia quente, queremos esfriar imediatamente, e n√£o esperar que o estafeta nos entregue uma bebida. No caso das frutas e legumes, muitas vezes queremos ver os produtos com os nossos pr√≥prios olhos, toc√°-los e cheir√°-los, raz√£o pela qual raramente os compramos online. Por outro lado, os produtos para os quais a fidelidade √† marca √© importante e para os quais o per√≠odo de uso em casa √© longo e previs√≠vel (o que permite planejar as compras online com tranquilidade) ser√£o comprados online com mais frequ√™ncia. Atualmente, 33% dos consumidores no mundo declaram que estar√£o nos pr√≥ximos 6 meses para comprar um gel de lavagem do corpo (22% na Pol√≥nia), pasta de dentes ou champ√ī online. A situa√ß√£o √© semelhante para produtos que podemos comprar imediatamente uma quantidade significativa, economizando nos custos de entrega e n√£o nos preocupando tanto com o prazo de validade. Eles tamb√©m ser√£o cada vez mais comprados online. Bons exemplos s√£o fraldas de beb√™, len√ßos umedecidos, papel higi√™nico e ra√ß√£o seca para c√£es e gatos.

Os consumidores em todo o mundo compram online de forma diferente, e o com√©rcio eletr√īnico n√£o √© desenvolvido igualmente em todos os continentes e pa√≠ses. Em termos de vontade de comprar pela Internet, os mais ativos s√£o os habitantes da √Āsia e do Extremo Oriente, onde 37% dos inquiridos j√° compram produtos FMCG online. Curiosamente, a Europa ocupa o √ļltimo lugar em termos de atividade de com√©rcio eletr√īnico. Os europeus compram menos produtos FMCG online (na Europa, em m√©dia, essas compras s√£o declaradas por 13% dos inquiridos, na Pol√≥nia 15%), tamb√©m utilizam menos frequentemente a Internet para ajudar nas compras ou na compra de bens virtuais.

O n√≠vel de penetra√ß√£o da internet desempenha um papel importante na explica√ß√£o dessa quest√£o: nos pa√≠ses em desenvolvimento, as pessoas mais abertas a novas solu√ß√Ķes t√™m acesso a ela. o assim chamado “early adopters”, enquanto nos pa√≠ses desenvolvidos a maioria dos cidad√£os tem acesso √† Internet. Da√≠ a sobrerrepresenta√ß√£o significativa de “early adopters” na pesquisa realizada via Internet. Eles est√£o muito mais entusiasmados com todas as solu√ß√Ķes dispon√≠veis via Internet (incluindo compras online), apenas porque t√™m acesso √† Internet.

Tamb√©m vale a pena prestar aten√ß√£o √† din√Ęmica da crescente import√Ęncia do com√©rcio online para v√°rias categorias de produtos FMCG. A Nielsen verificou a disposi√ß√£o de compr√°-los online entre 2011 e 2014. Acontece que a disposi√ß√£o global de compr√°-los online em metade das 22 categorias monitoradas dobrou e, em alguns casos, triplicou. Isso mostra o quanto o com√©rcio eletr√īnico se tornou importante e quais s√£o os rumos de seu desenvolvimento, e que tem um grupo de usu√°rios em potencial em r√°pido crescimento (Millenium e Z Generations).

O estudo “Nielsen Global E-commerce and the New Retail” foi realizado entre agosto e setembro de 2014. Foi realizado em uma amostra de mais de 30.000 usu√°rios de internet em 60 pa√≠ses em todos os continentes. Crit√©rios demogr√°ficos foram usados ‚Äč‚Äčpara selecionar uma amostra representativa de adultos internautas em cada pa√≠s Os valores s√£o verificados pela Nielsen no n√≠vel de um determinado pa√≠s e, para alguns pa√≠ses, foram estimados.

Shopper Trends √© uma pesquisa anual sobre o comportamento de compra do consumidor. A pesquisa √© realizada na Pol√īnia e em outros pa√≠ses. S√£o entrevistas online. O estudo foi realizado em uma amostra nacional e representativa de compradores na Pol√īnia (n = 1.543, mulheres e homens com idades entre 18 e 65 anos). Participaram do estudo pessoas respons√°veis ‚Äč‚Äčpor fazer compras ou influenci√°-lo, fazendo compras em determinado canal (hiper e supermercados, mercearias menores e drogarias) pelo menos uma vez por m√™s. Prazo para o estudo: novembro de 2014.