Usuários furiosos com as novas regras de privacidade do Spotify, site pede desculpas e promete mudanças

Usuários furiosos com as novas regras de privacidade do Spotify, site pede desculpas e promete mudanças 1

Na última quinta-feira, o Spotify anunciou que estava introduzindo alterações nas informações que a plataforma coleta sobre seus usuários. De acordo com as novas regras, o Spotify terá acesso a dados do usuário, como lista de contatos, fotos ou informações de geolocalização.

A nova política de privacidade provocou uma onda de críticas de usuários que não pouparam palavras duras no Spotify em sites de redes sociais, e alguns deles começaram a fechar suas contas na plataforma. Este último também incluiu usuários influentes e personagens famosos, incl. Marcus Persson, criador do Minecraft.

Daniel Ek, chefe do Spotify, falou em resposta à onda de críticas. Em um blog corporativo, ele se desculpou com os usuários que se sentiram preocupados com as mudanças na forma como os dados privados foram coletados.

“DeverĂ­amos ter feito nosso trabalho melhor”, admitiu Ek. – Estamos em processo de introduzir mudanças em relação, entre outras, nossa polĂ­tica de privacidade, o que causou muita confusĂŁo devido Ă  comunicação inadequada sobre novas soluções. Lamentamos por isso. Quero deixar claro que todas as melhorias que estamos fazendo visam apenas desenvolver ainda mais os serviços do Spotify. No entanto, a segurança e a privacidade dos usuários sempre serĂŁo nossa prioridade. Por isso, garanto que a partir de agora vamos explicar de forma clara e clara quais dados precisamos e para que pretendemos usá-los. E a decisĂŁo final de compartilhar essas informações conosco será sempre do usuário – garantiu Daniel Ek.

O chefe do Spotify prometeu introduzir rapidamente as alterações apropriadas na política de privacidade do site, mas não declarou explicitamente que as alterações introduzidas anteriormente serão retiradas.

Spotify não teve uma boa imprensa ultimamente. Na primeira quinzena de agosto deste ano. O site foi alvo de críticas após divulgar que pretendia reduzir a biblioteca de músicas disponíveis para usuários de contas gratuitas. A decisão deve ser uma resposta à pressão das grandes gravadoras, que não gostam de oferecer música em troca de assistir a comerciais (mais sobre isso).